Google
 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

A água benta


A água benta

Origem: Foi Santo Alexandre que governou a Igreja do ano 121 até 132 quem mandou usar o sal na bênção da água. Na lei de Moisés, aspergia-se o povo com água misturada com a cinza do bezerrinho vermelho que imolavam. Chama-se lustral esta água, que limpava o povo das imundícies legais. O que as cinzas eram na Lei de Moisés é o sal na Lei evangélica. O sal simboliza a sabedoria e a amargura da penitência. Antes de benzer a água, benze-se o sal. A água simboliza o batismo, e sempre a dor precede a penitência, como a teologia nos ensina.

Efeitos espirituais da água benta:
1 - Afugenta todo o poder do demônio no lugar em que se joga a água benta;
2 - Apaga os pecados veniais;
3 - Afugenta toda sombra, fantasia e astúcia diabólica;
4 - Tira as distrações na oração;
5 - Dispõe a alma, com a graça do Espírito Santo, à maior devoção.

Efeitos corporais da água benta:
1 - Abundância nos bens temporais;
2 - Afasta as enfermidades;
3 - Afugenta os gafanhotos, ratos e outros animais daninhos e ares pestíferos.

Introduziu-se na Igreja o uso da água benta para apagar aquela cerimônia judaica e gentílica, de lavarem-se antes de entrar na igreja, para pedirem a Deus torná-los limpos e puros. Para apagar esta figura, o cristão pedia ao sacerdote para benzer primeiro a água.
Cadastre seu email para receber as atualizações do blog Cultura Católica

Nenhum comentário: